Skip to content

berço-para-bebeUma das grandes dúvidas dos pais, principalmente os de primeira viagem, é sobre o berço do bebê. São muitas ideias, muitos modelos disponíveis no mercado e também, muitos palpites, de familiares e vendedores.
Essas preocupações são legítimas, afinal, será a primeira cama do seu filho ou filha, e ele irá passar boa parte do começo da sua vida nele, então, é preciso levar algumas coisas em consideração para que se faça uma boa escolha.

O que tem de ter em conta para escolher o Berço para o Bebé

O tamanho e a procedência

Antes de qualquer escolha estética, é fundamental que o berço seja funcional e resistente. Em geral, os berços possuem um tamanho padronizado, o que facilita a escolha.
Algumas variações são encontradas, principalmente na altura das grades de proteção e também da distância em relação ao chão. Para saber qual escolher, basta usar o bom senso.
A altura dos pais deve ser um fator considerado, pois é preciso levar em conta que o bebê será colocado e tirado várias vezes por dia do berço. Portanto, quão mais facilitada for essa tarefa, melhor.
O berço deve ser certificado pelos órgãos responsáveis pelo controle de qualidade, e é fundamental exigir essa certificação da loja que fornece o produto. No caso de um marceneiro de confiança ser o executor do berço, as regras de segurança devem ser seguidas também.

Outros aspectos importantes

Quando o casal estiver escolhendo o berço para o bebê, é importante levar em conta também, alguns aspectos:

• Densidade do colchão
• Uso ou não do mosquiteiro e outros acessórios – usar sempre o bom senso e pensar na segurança do bebê
• Optar por material seguro e durável
• Adequar o berço e os acessórios, como o trocador, ao tamanho do quarto do bebê ou do casal, para que haja espaço suficiente
• Obter informações sobre o fabricante e a loja, além de buscar aconselhamento com parentes e amigos

Levando em conta essas dicas e usando o bom senso, os pais estarão aptos a fazer a melhor escolha de berço para o seu bebê, optando por um móvel seguro, prático e que torne a vida do seu pequeno bem mais confortável!

Sites onde pode encontrar tudo da melhor qualidade para o seu Bebé :

doenças mais comuns nos bebesAssim que vêm ao mundo, os bebês já estão sujeitos à uma série de doenças e enfermidades. Isso acontece porque seu sistema imunológico ainda está em formação e, portanto, é bem fraco.
É comum que as mamães e papais se preocupem ao longo do primeiro ano de vida do bebê, entretanto, o aparecimento de certas doenças é muito comum, e fazem parte do processo de crescimento de todas as crianças.
Portanto, nada de desespero! Basta conhecer um pouco mais sobre as doenças mais comuns nos bebés recém-nascidos, tentar evita-las e trata-la adequadamente quando surgirem.

Doenças comuns nos bebés recém-nascidos

Acompanhe o desenvolvimento de seu bebê, e se perceber algo diferente, procure o pediatra.

• Icterícia

Essa doença típica dos recém-nascidos se caracteriza pelo aparecimento de uma coloração amarelada nas mucosas e na pele do bebê. Ela é causada basicamente, pela imaturidade do fígado, que ainda não tem a capacidade de metabolizar certas substâncias, como a bilirrubina. O tratamento é feito com banhos de luz fluorescente específica para esse fim, e em geral, apresenta excelentes resultados.

• Resfriados

É praticamente impossível evitar que os recém-nascidos tenham resfriados, afinal, eles são importantes para que o sistema imunológico da criança se desenvolva e possa combater por si os vírus causadores da doença. Casos mais severos devem ter acompanhamento médico.

• Bronquiolite

Essa infecção atinge muitos bebês e é causada por um vírus, principalmente nos dois primeiros meses de vida. Seus sintomas são parecidos com os de um resfriado, mas nesse caso, o peito do bebê apresenta um chiado bem característico. A doença é alérgica, e pode ser tratada com muita hidratação, inalação com soro e desobstrução nasal, e se os sintomas não regredirem em três ou quatro dias, é preciso buscar ajuda médica.

• Otite

Uma das doenças mais comuns que atingem os recém-nascidos é a otite, ou seja, a infecção ou inflamação nos ouvidos. Por serem ainda muito sensíveis, essas estruturas não são imunes a agentes externos, como água, poeira ou outros materiais, o que causa a inflamação. Nestes casos, o bebê sente muita dor e é preciso buscar ajuda médica.

Além dessas enfermidades, muitas outras podem afetar seu bebê nos primeiros meses de vida, como inflamações urinárias, faringite, laringites, varicela e outras doenças comuns nessa fase da vida.

Beneficios Da AmamentaçãoAssim que sabem que estão grávidas, as mães começam a se preocupar com a saúde e o bem-estar de seus pequenos. Essa preocupação se estende durante toda a gravidez e por mais alguns bons anos, e há quem diga que ela não acaba nunca!  Então a amamentação trás beneficios para o bebé? 
A boa notícia é que um dos principais cuidados que a mamãe pode oferecer ao seu filho e de forma totalmente gratuita, depende apenas dela: amamentar no peito. Os benefícios dessa alimentação natural são imensos, e nenhuma mãe deve abrir mão disso, exceto se apresentar algum problema que impeça a sua prática.

Vejamos agora alguns dos muitos Beneficios Da Amamentação para o Bebé:

amamentar

1. Aumento da imunidade

O leite materno proporciona ao bebê o aumento da sua imunidade, pois possui diversos fatores anti-infecciosos e células de defesa. Assim, os primeiros meses de vida do bebê serão muito menos suscetíveis a infecções e a inflamações oportunistas.

2. Contato físico

O contato do bebê com a mãe durante a amamentação é muito importante, pois favorece sua estimulação e seu crescimento intelectual e afetivo. Para as mães, ajuda a controlar o stress e a ansiedade, além de fortalecer os laços afetivos entre ambos.

3. Maior aproveitamento dos nutrientes

O leite materno é mais facilmente aceito pelo organismo do bebê, inclusive pelo sistema digestivo. Ele reconhece os elementos do leite da mãe, o que não acontece se o leite é de outra origem, como o de vaca ou o artificial. Assim, todos os nutrientes são absorvidos em sua totalidade, facilitando o melhor desenvolvimento do bebê.

4. Menor risco de alergias

Por ser natural ao bebê, o leite materno faz com que o organismo se desenvolva com menor risco de ser alérgico

5. Fortalecimento dos pulmões

Ao sugar o leite, os pulmões do bebê se desenvolvem mais plenamente

6. Diminui as cólicas

Como é facilmente digerido pelo organismo do bebê, o leite materno ajuda a evitar cólicas abdominais, causadas pela intolerância a outros leites, por exemplo.

7. Previne a anemia

Por ser extremamente rico em ferro, o leite materno é recomendado também para que se previna a anemia em bebês.

8. Melhoria no desenvolvimento cognitivo

O leite materno ajuda também no desenvolvimento cognitivo dos bebes, segundo apontam estudos. O motivo é a presença de gorduras que favorecem o desenvolvimento cerebral e da capacidade de raciocínio.